A Noite

22 de abril de 2011 § Deixe um comentário

Frio. O vento soprava congelante e batia em meu rosto, tocando minha pele fina, como uma navalha afiada. Já não se via mais o sol, apenas alguns reflexos distantes encobridos pelas nuvens carregadas que pareciam mais com sombras escuras acinzentadas, sem forma. Do alto eu pude ver o esplêndor do pôr do sol indo embora para dar espaço para a noite plena e a lua. Ah, a lua! Prateada e tão brilhante que iluminava quilômetros de ruas em completo breu, engolidas pela escuridão da noite. Eu estava ali, somente aguardando a chegada da lua prateada para poder sair pela noite. Assim que o sol se foi totalmente e o céu foi tomado pela cor negra, a lua prateada já estava lá. Com apenas um olhar, ela me consumiu por inteira, e pude ver o quanto de perfeito havia naquilo. Um ponto luminoso no meio a escuridão, mas esse ponto, é mais do que apenas uma luz, é o coração. Sem a lua não existira noite, assim como sem o coração, não existiria a vida.

Anúncios

Asas de Anjo 5

12 de abril de 2011 § Deixe um comentário

Stella acordou ainda sonolenta. Parecia que estivera dormindo uma eternidade. Abriu os olhos vagarosamente e percebeu que estava em um lugar desconhecido. Como foi parar lá? Colocando os pensamentos no lugar, recordou-se de quase tudo. Não sabia exatamente como tinha parado no lugar onde se encontrava, mas lembrava nitidamente do beijo de Demetrius na porta da Universidade. Sim, estavam se beijando e então…lembrou-se das sombras. O que era aquilo? Queria saber se essa foi a causa da dor no peito que sentiu. Poderia ser? Ao se lembrar de como tinha doído e como tudo aquilo havia acontecido, Stella estremeceu da cabeça as pés. Estava louca, só podia. Só então se deu conta de que Demetrius estava ao seu lado na cama. Ela estava de costas para ele. Stella se virou e ficou a polegadas de distância do corpo de Demetrius. A mão dele repousava sobre seu corpo. Ele estava tão lindo! Suas pálpebras estavam fechadas, parecia estar em um sono pesado. Talvez estivesse sonhando porque, suas sobrancelhas estavam levemente franzidas. Estava vestindo apenas seu jeans. Já não estava mais de camisa. Stella percorreu seu lindo rosto com o olhar. Se ele não tivesse aquela barba por fazer o rosto dele seria como o de um bebê. Um bebê muito lindo por sinal. Descendo o olhar, Stella olhou seu peito forte e musculoso, com e pele bronzeada. Ele era só músculos e exalava sensualidade. Stella reparou seus ombros fortes. Demorou-se um tempo por ali, e reparou na ponta da asa do anjo tatuado nas suas costas. Dava para ver apenas algumas penas do desenho. Stella levou sua mão até ela e colocou seu indicador na asa. Sentiu um pequeno choque, como uma carga de energia sendo transportada para ela. Com a mesma mão Stella deslizou os dedos pelos músculos firmes de Demetrius. Ela o desejava. Queria sentir o corpo dele sobre o seu naquele momento e não pensar em nada mais. Sem tirar as mãos dele, Stella olhou para sua boca e em seguida, se esticou um pouco para tocar seus lábios com os seus. Então ele abriu seus olhos claros.

 

Demetrius sentiu o beijo de Stella, e foi como um despertador. A bela adormecida sendo acordada com um beijo. Era gay, mas foi o que ele pensou. Ele se afastou um pouco, a segurou pelo pulso da mão que estava sobre seu peito e a olhou.

  • O que está fazendo minha rosa? – ele perguntou aos sussurros
  • Faça amor comigo – ela respondeu sem vacilar se aproximando mais dele

Demetrius estava um pouco confuso. Não porque não queria fazer amor com Stella, mas sim porque achava que não deveria. Ele dormiu pensando em muitas maneiras de achar uma saída para tudo isso. E chegou a conclusão que teria realmente que deixá-la. A conclusão lhe doeu o peito, mas isso não queria dizer que ele desistiria dela. Ele a esperaria, ele faria sua parte para poder encontrar com ela novamente, e ela teria que acreditar nele e seguir seus instintos de anjo. Esse era plano para o amanhecer, mas Stella estava tão próxima dele, e queria fazer amor com ele! Estava excitada e só o toque dos seus lábios foi o suficiente para Demetrius acordar já em posição de ataque. O que havia entre os dois era algo inexplicável. Uma corrente elétrica, uma força maior que fazia com que quisessem que seus corpos estivessem colados o tempo todo. Ele era dela e ela era dele. Nada poderia mudar isso, eles eram um.

Stella soltou sua mão de entre as de Demetrius e tocou seu abdômen definido. Ele estremeceu pelo toque suave e devagar que ia descendo em direção ao ponto exato onde ele queria. Stella chegou próximo de seu rosto.

  • Eu amo você, faça amor comigo agora! – ela disse sussurrando firme

Como ele poderia negar se o que ele mais queria era estar dentro dela? Ele mataria por estar lá. Pensou que não conseguiria viver sem sua doçura e sem corpo junto ao dele. Não poderia viver sem Stella. Nunca.

Demetriu pegou a mão de Stella e a posicionou em seu próprio rosto. Com a mão livre, ele deslizou para dentro da blusa dela e pegou com gentileza um seio preenchendo-o por completo. Stella deu um gemido curto e abafado e ele adorou o som que produziu. Ele a beijou com delicadeza. Seus lábios se unindo exigentes por mais. Ele interrompeu o beijo, moveu o corpo um pouco mais para baixo. Levantou a blusa de Stella e apartou o sutiã branco de renda deixando os seios a mostra. Ele pegou um e levou seus lábios para o centro daquele lugar. Sugou-o com vontade, saboreando o seu delicioso sabor. Ele deslizou a mão para baixo, sem interromper o toque, e tocou no lugar onde ele gostaria de estar. Stella estremeceu e fez com que o corpo de Demetrius estremecesse juntamente com ela, na mesma freqüência. Afastando-se um pouco, Demetrius virou Stella deitada de costas e tirou sua blusa com um puxão rápido. Em seguida tirou sua calça e a calcinha.

– Tira isso! – ela disse referindo-se a sua calça

Demetrius fez o que ela mandou e se despiu. Ficando em cima dela, tomando cuidado para não depositar todo o seu peso, Demetrius tocou o belo rosto delicado de Stella.

– Você é linda …

Dizendo isso ele a beijou. Carinhosamente e logo depois, com vontade. Vontade de provar mais dela. Do seu corpo todo. Ele sabia que essa seria a ultima vez que estariam juntos até se encontrarem de novo, e não tinha certeza de quando seria isso. Por isso, Demetrius resolveu não pensar nas conseqüências e aproveitou cada segundo com ela. Tocou e explorou todos os cantos do seu corpo. Deixou ela fazer o mesmo. Deu prazer a ela de forma total e plena. Sentiu seu toque, seu cheiro, a textura de seu cabelo e sua pela feita de papel. E assim, eles se amaram por horas e horas. Ele estava em êxtase e suas asas queriam se abrir e bater forte com alegria e prazer. Ele não queria que acabasse, nunca, mas ele sabia que o amor que eles compartilharam, poderia passar até mesmo por vidas para estarem juntos. Ele acreditava nisso piamente.

Amante Liberto

11 de abril de 2011 § Deixe um comentário

 Amante Liberto é o livro que conta sobre V, nosso querido vício! (literalmente)

Estou amando le-lo novamente e não tenho palavras pra descrever o que realmente sinto por ele. Fico com raiva, choro, me descabelo, dou risada com ele. Mas, tenho vontade de abraçá-lo a todo o momento.

O livro é muito interessante e cheio de historias paralelas, como a de John, que neste livro é mais enfatizada e a do Phury.

Eu confesso que fico super triste com o final desse livro, acho que Vishous sempre sofreu tanto por erros que não foram dele, então ele deveria ter um final melhor. Confesso que eu, realmente até hoje, depois de ler mais de uma vez, não entendo muito bem a relação da irmã de Jane com tudo. O fato de ele ser bi e achar que estava apaixonado por Butch me incomodava um pouco. Sem preconceitos ok. É só que…bom, já é difícil imaginar ele dormindo com outro vampiro, por mais que seja uma coisa mecânica, quanto mais apaixonado por alguém que não poderia nunca dar o que ele realmente precisa. Desculpem fãns de Butch, mais o irlandês católico falaria mais alto e V. precisa de alguém de goste das mesmas coisas que ele, porque uma coisa é aceitar outra é compartilhar. V. é muito másculo e poderoso. Achei que seria difícil ele se abrir com alguém já que, nem com Butch, ele foi totalmente aberto. Mas com Jane, ele quase que foi naturalmente, uma pessoa normal. Os bloqueios que ele teve foram poucos e duraram pouco também. Gosto de Jane porque ela é, como posso dizer, o V. em versão mulher. É a pessoa certa pra ele.

Eu gostaria só de entender por que Vishous estava no futuro de Jane desde pequena, mas e quanto ao V.?? Quer dizer, a Virgem Escriba não sabia dela, e também depois, ela não sabia o que iria acontecer com ela, não é?

Enfim, V é maravilhoso e fico muito feliz que ele tenha aberto seus sentimentos, seu coração e sua mente e tenha conseguido encontrar o amor de verdade: “Porque o amor, afinal, era eterno e não sujeito aos caprichos da morte”.

Abaixo, segue um trecho da primeira vez de Vishous e Jane. HOT HOT HOT!

Ele a levou para a pia e fez exatamente o que disse que faria. Se inclinou sobre ela, colocou suas mãos uma de cada lado na pia e deu a ordem:

– Segure-se.

Ela se segurou com força.

Ele usou as duas mãos nela, correndo-as para dentro de sua blusa, segurando seus seios. E então pousou as mãos sobre sua barriga ao redor de seu quadril.

V. puxou a calcinha para baixo com um único movimento.

-Oh!… É isso o que eu quero – Sua mão com a luva de couro segurou seu traseiro e o massageou – Levante essa perna.

Ela obedeceu e sua calça de ioga desapareceu sob seus pés. Suas coxas foram separadas e … sim, as mãos dele, uma com a luva, a outra sem, subiram. Ela sentiu que estava úmida e cheia de desejo enquanto esperava por ele.

– Jane… – ele sussurrou como numa reverencia.

Não houve prelúdio, não houve delicadeza no que ele fez com ela. Foram os lábios dele. O corpo dela. Dois pares de lábios se encontrando.

Citações Vampirescas

8 de abril de 2011 § Deixe um comentário

No twitter eu gosto muito de postar algumas citações de livros, cenas ou frases ditas por nossos queridos ídolos vampiros. Então, reuni algumas citações que postei por esses dias. Devo dizer que, algumas eu que peguei no livro em questão, mas outras são de diferentes fontes da web.

Enjoy

“O mal nunca encontrará a paz, pode triunfar, mas, jamais encontrará a paz.” Diário dos Vampiros – O Despertar

 “Atravessei oceanos de tempo para encontrar-te.”O Conde Drácula

“Seu sabor era um delicioso frêmito em sua boca, uma epifania, uma escandalosa explosão…”Amante Desperto

 “Assim, estendemos a mão para o caos furioso, apanhamos alguma coisa pequena e brilhante e nos agarramos à ela dizendo para nós mesmos que ela tem significado, que o mundo é bom, que não somos a encarnação do mal e que no fim iremos para casa.” Lestat de Lioncourt em “A História do Ladrão de Corpos”

“Nenhuma morte pode ser enorme como a vida O Vampiro Lestat

O bem e o mal são conceitos criados pelo homem” O Vampiro Lestat

“O mal é sempre possível. E a bondade é eternamente difícil.” Entrevista com o Vampiro

“Acredite-me, se pudesse ter uma ereção, a cama seria o primeiro lugar que te levaria” Amante Vingado

 Pegue tudo de mim, uma parte, um pedacinho só, o que quiser. Mas por favor, fique com alguma coisa.”Amante Eterno

Jan tocou meus lábios cerrados com os seus. O encanto era delicado e podia ser quebrado ao menor gesto. No fundo de seu coração frio temeu enfrentar meus olhos acusadores. Queria me pegar em seus braços, ter o direito de vigiar meu sono e provar de minha boca. Deitou ao meu lado e envolveu meu corpo. Não acordei, mas via e ouvia, era isso. Não queria despertar daquele mundo gostoso. Sentiu-me em seus braços e foi dominado pela frustração de não poder continuar comigo… ..sentiu ciúmes do sol, afinal seus raios estariam ao meu lado, e ele não”Alma e Sangue O Despertar do Vampiro

“…creia que a morada do mal está na alma e não no corpo.” – Amante Revelado

“Seus lábios eram suaves e seu beijo mais suave ainda, e na minha opinião, eles afataram-se muito rápido. Verdadeiramente muito rápido.” Amante Vingado

 Eu poderia ficar um dia todo tirando meus livros da prateleira e procurando por frases inesquecíveis dos livros que já li, mas acredito que seja o suficiente, por hora.

Dama da Noite

 

 

 

 

 

 

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para abril, 2011 em .